About

Criando um desenho para serigrafia!

Varias são as dúvidas dos leitores sobre criações de artes para serigrafia... Um artefinalista bom tem que ter inicialmente muito treino prático, juntamente com bastante embasamento teórico, além de uma habilidade criativa bem afinada!
A prática que me refiro seria o domínio das técnicas e softwares específicos para manusear e transformar  os desenhos. A teoria seria um conhecimento sobre vertentes e tendencias, uso de bom senso nos trabalhos para que não fiquem apelativos, pobres ou até mesmo ridículos... E também sobre as padronizações e regras dos inúmeros produtos que envolvem-se no amplo mundo da comunicação... Muitas destas respostas estão apenas em raros bons livros ou bons cursos, e dificilmente são aprendidas de maneira autodidática... Não achemos que tudo que queremos está aqui na net, muitas coisas são excluídas por nós mesmos nas nossas pesquisas, pois só vamos selecionando o que nos interessa diretamente...

Agora falando sobre a aplicação prática em arte final para serigrafia, existe uma regra básica para seguir, que são as separações de cores...
Uma policromia é simples de se fazer, basta ter uma impressora postscript ou emulador, por uma cruzeta e mandar pra impressora! Mas na serigrafia o uso de técnica de policromia é apenas uma parcela pequena das nossas produções, todo o resto tem que ser feito separando as cores manualmente...

1- Idéia
Saber o que queremos estampar é uma essência, muitas vezes uma boa idéia no desenho vale mais que um bom estilo ou boa técnica.

No exemplo acima peguei um desenho feito à mão, escaneei,  tratei a imagem de modo à tentar dar uma melhorada e o vetorizei...  Para vetorizar converti em imagem preto e branco, linha artística e depois usei o rastreador automático do CorelTrace... Alguns casos não são tão simples assim, então teremos que redesenhar toda a composição com as ferramentas do programa, formas básicas, pincéis... A principal ferramenta, que todo arte finalista vai enjoar de usar, é o Bézier...

2- Ornamento
Depois da imagem principal pronta, dá pra dar uma elaborada maior... Escrever alguma mensagem... Adicionar cores e as cruzetas para registro destas...
 
No nosso layout dos "Ramoninhos" coloquei um contorno e escolhi as cores da bandeira americana, marca registrada da banda pioneira do PunkRock nos EUA que nos U$A... O cinza será a parte vazada, representa a cor da peça que será estampada, não tem jeito de tentar criar um desenho pra camiseta preta usando fundo branco!

3- Separatismo
O básico do positivo da serigrafia é que cada cor seja impressa em um fotolito separadamente e na cor preta... Como este desenho era em 4 cores, multiplicamos ele em 4 imagens iguais (uma quinta imagem sobressalente também seria importante), já com as cruzetas...Pegamos todos os detalhes do desenho em azul, juntamente com a cruzeta, agrupamos, deletamos o restante e convertemos estes que sobraram em preto...
Na segunda imagem fazemos o mesmo, desta vez com as partes do desenho que serão brancas... repetimos com as cores seguintes... O preto e o vermelho. Pronto, está tudo separado!
O uso de trapping em algumas cores é importante para facilitar o registro no momento de estampagem...
Também devemos prestar atenção na sequência das cores que irão por baixo, como fundo, e nas que irão por cima, com sobreposição...

Boas estampadas!

O que o cliente quer? O que o serígrafo pode dispor?


Como se nos fosse fácil unir tudo isso, o bom ou mau cliente quer ser prestado basicamente pelos seguintes quatro itens:
1-Preço
2-Qualidade
3-Prazo
4-Bom atendimento

Não é fácil, mas também não é impossível, com um pouco de organização, dedicação, paciência e atenção se consegue agradar o bom cliente ou então no mínimo entrar num consenso com o mala.

O cliente e o serviço:
Às vezes ele nem sabe realmente o que quer, inventa layouts toscos e inviáveis pra serigrafar, que ao vivo, depois de prontos... Darão um tremendo trabalho e ficarão ridículos... Nestes momentos o melhor é o bom e velho diálogo explicativo, use de sua experiência pra poder sugerir algo mais apropriado para a tiragem/tamanho/disposição das peças e também pra sua capacidade de produção... Mas, se a estampa que ele quer fazer já está corretamente definida, meio caminho já está andado... Mãos à obra e bom trabalho.
Há cliente que quer camiseta com qualidade profissional a preço de promocional e além de tudo pra ontem!!! Se não ficarem bem definidos e transparentes estes parâmetros, no final a corda vai arrebentar para o lado do mais fraco! Ou seja, para o de quem estiver errado (recordando-te a nojenta frase de que o cliente sempre tem a razão).
Identificar quem é um bom ou mau cliente também é algo muito pessoal, tendo em vista que cada um tem seus próprios valores pessoais. Uns acham que o bom é o que paga certinho, outros creem que é o pouco exigente... Tem até quem julge absurdamente pela aparência ou pela roupa...
Mas uma coisa é certa! Não há maneira de trabalhar apenas com quem você tem afinidade. Se fosse assim eu "tava lascado"... Só mamãe compraria minhas camisetas!

1- O Preço.
Normalmente um ou outro, desvaloriza a prestação do serviço serigráfico, neste momento você não deve mesmo render-se e aceitar fazê-lo por um valor menor do que está de maneira justa querendo cobrar, pois quando o troço começar repentinamente a dar pepino, meu chapa, você vai esquentar a sua cabeça por aquela mixaria mesmo. Daí não adianta reclamar...

E a eterna mania de pechincha?
Se você cobrar 30 numa camiseta o cara pede pra fazer por 20... Se você cobrar 20 o cara pede por 15... Se você cobra 10ão... Mesmo assim o pechincheiro quer desconto. Cobrando 20 formaremos clientela que paga 20... Cobrando 10 atrairemos quem só está disposto a pagar 10... O mercado generalizadamente é assim, tem boteco que cobra 10 pela mesmíssima  "Antártica" que no concorrente custa 5... Pra ambos tem clientela. (claro que existe uma base pro valor, não dá também pra querer cobrar 100 reais por uma camiseta que notoriamente não vale nem 20, devemos mostrar o mesmo bom senso que exigimos).
Então analisa se adianta querer "ganhar na quantidade", concluo veementemente que vale bem mais a pena fazer dois serviços de "50" do que três de "35"... Você gasta menos, trabalha menos, se estressa menos e no fim ganha mais!!! É só fazer as simples contas... Se o teu concorrente quer fazer o mesmo serviço por miseráveis "20ão"... Boa sorte pro otár... Quer dizer! Pro futuro falido mau negociante.
Sem bom investimento não há evolução no ramo, pra isso precisamos de dinheiro mesmo. E também queremos lucro! Não podemos ser hipócritas e negar o fato de que uma piscinona lá nos fundos de casa iria ficar show! Se um dia vou ter não sei. Só sei que o cara que cobra "20ão", a menos que acerte na loteria, não vai.

2-A qualidade
Bem, este é um requisito que depende exclusivamente de você, estar sempre atualizado é um dever de qualquer bom profissional... Resumindo a história acredito que um bom resultado num impresso serigráfico depende no mínimo da atenção aos 5 seguintes fatores: conhecimento da técnica, dedicação, muita atenção, capricho e uso de materiais de primeira linha (que garantirão e valorizarão seu trabalho), não menos do que isso.
Se habitue em apresentar sempre o melhor de si, fazer as coisas descaprichosamente pode virar um vício laboral que de repente nunca será sanado.
E necessita também muito treino... Um destacado esportista/músico/pintor/ator... Não o é à toa, sem muito treino e exaustivo estudo diário. Na serigrafia como profissão, hobby ou arte não seria diferente. Mas faça isso apenas se lhe der prazer em formar aqui ou ali uma carreira. Caso contrário, se está no negócio só pra tirar um troco sazonal, desconsidere tudo isso que eu disse.

3-O Prazo
Sempre falo quando me apressam... Você quer o serviço rápido ou bem feito? Pois odeio trabalhar sobre pressão!
O serviço serigráfico é sempre fixo, se você tem capacidade de produzir mil peças de determinado tipo por dia, não produzirá jamais 1500...
Se organize e marque num caderno sua capacidade produtiva, por exemplo: "estampa de três cores 120 unidades por hora", "nove cores 30 unidades por hora"... Baseando-se a partir deste teu pequeno guia você pode dar um prazo aproximado pra entrega, sempre chutando pra mais, uma defesa no caso de uma eventualidade surpresa.

Dica pro funcionário:
Muito cuidado com as horas extras que só enriquecem o patrão... Se não ficou rico trabalhando 8 horas por dia, não ficará trabalhando 10, se quer ganhar mais, negocie um aumento ou troque de emprego. Se acaso sobra serviço no final do expediente é porque a empresa está de vento em popa, solicite um ajudante! A fadiga por excesso de trabalho resultará em problemas físicos e psicológicos... Diminuirá seu IMPAGÁVEL momento de lazer com amigos e família, chegará exausto em casa e não prestará as devidas obrigações conjugais com a "dona encrenca"... O Ricardão pode tomar teu lugar enquanto puxa freneticamente o rodo na firma mermão! hehê! Deuzolivre!

4- O bom atendimento 
Obviamente por melhor que seja o preço e a qualidade de uma comida, eu não vou retornar ao restaurante se nele eu for mal tratado! Mas...
As relações interpessoais humanas não são uma coisa que se aprende no "Blog Yarru!" Vem do berço e da sua maneira pessoal de tratar bem as pessoas e se comunicar.. Uns tem maior facilidade e outros menos... Definitivamente ser simpático (ou falso) não é o pré-requisito que formará um bom serígrafo... Isso "nós vamos estar deixando" para os vendedores de carro/seguro/plano de saúde...
O que posso garantir é que a apresentação de seu ambiente de trabalho mostrará gritantemente quem você é... Uma sala serigráfica limpa, bonita e organizada resumirá a primeira impressão sobre o profissional.
Bastando então tratar o cliente com muito respeito... Afinal de contas ele tem que ser seu amigo, não aquele que vai te levar pra almoçar na casa dele no final de semana... Mas um amigo de um relacionamento profissional...
A sua prestação de serviço será melhor se existir nela uma "pós-venda", comunicando o que ficou bom no impresso e até o que pode ser melhorado futuramente... Essa é uma espécie de parceria que fidelizará a sua clientela.

Resumindo tudo isso...
O cara não vai numa empresa porque ela é do lado da casa dele ou porque tem uma recepcionista atraente (alguns vão, né?)... Ele cruza a cidade atrás de um produto bom, barato e o mais rápido possível. E ainda assim se te achar gente boa!

Este texto lhe foi útil? Foi uma M*rd@? Agradaria-me se colocasse aí seu sincero comentário!

Retirando fantasmas

http://imguol.com/blogs/88/files/2014/03/2367703-a2600_ghostbusters.jpg

O que são:
Resíduos de tinta/pigmento impregnados no tecido técnico da matriz, é uma mancha bastante visível que persiste mesmo após a limpeza da tinta da  tela ou do decapamento da emulsão.

Malefícios:
Estas manchas são impurezas no tecido, consequentemente irão prejudicar principalmente o processo de revelação de uma nova arte final. Tanto na aplicação da emulsão, a exposição do fotolito até a abertura do desenho.


Removendo: (Sem delongas, modo mais prático)
Após a devida decapagem da emulsão (Matéria relacionada Recuperando a Matriz) com a tela completamente seca se aplica o produto específico, o mais comum é a pasta alcalina, com diversas opções nos variados fabricantes, a maneira mais fácil é com o uso da calha aplicadora de emulsão (que já ficará renovada também), passa dos dois lados e deixa agir por uns 15 minutos, lava o produto e submete o poliéster à lavadora de alta pressão para remover o fantasma.
Para neutralizar o produto (opcional, importante mas não obrigatório) se aplica uma camada de vinagre e deixa agir por uns 3 minutos, lavando finalmente a matriz acabada
É importante a utilização de EPI's (luva, óculos e máscara) pois o produto é alcalino e pode causar irritações ou queimadura química

A retirada do fantasma é muito importante para a preservação da matriz, Seguindo estes passos corretamente o poliéster irá ficar como novo.

Seja camarada e curta a Página do Yarru! Silk'n'Roll no Facebook
Receba atualizações de matérias sobre o vasto mundo da serigrafia.

Gravando e estampando retículas sem segredos!

Na serigrafia estampar retículas, simulados, policromia... Não é muito diferente que estampar qualquer outra coisa, a fundamental diferença está na composição da arte final e na tela utilizada, que serão próprias pra tal fim. A dificuldade que tenho notado ser mais comum entre os iniciantes são no momento de gravar as matrizes e pra que esta etapa fique menos complicada seguiremos uma sequência que tornará mais eficaz o processo.

Passo à passo pra não perder os pontos.
1- Arte final
Deve ser impressa em mídia estática, com impressora de laser de boa resolução, em laser film ou transparência, a parte preta deve ficar o mais opaca possível, pode ser escurecida com reforçador de tonner... O Fotolito/Positivo de qualidade é o primeiro passo para que no momento da revelação não haja surpresas...
A lineadura é escolhida de acordo com o tecido e emulsão que será utilizado, assim como o resultado desejado... O padrão têxtil é na média de 45 lpi para monocromias.

2- Tela/Matriz/Tecido
O tecido deve estar com ótimo tensionamento para que não ocorra distorção no momento da estampagem.
Para resultados otimizados usa-se poliéster monofilamento (mais estático que o nylon), preferencialmente novo, ou então alcalinizado e sem resíduos nem furos. Esticado em quadros rígidos, com fixação colada.
Telas com a mesma dimensão, tecido e tensionamento padronizarão o registro das cores, se tiver.

3- Emulsão
A escolha da emulsão própria para retículas é regra, já que o carinha querer aprender à revelar os pontos da imagem utilizando emulsão "verdinha" com bicromato é similar à querer desparafusar porca 13 com chave 15, tipo, tem até jeito, só que vai ter que usar uns artifícios não convencionais... Prefira sempre utilizar materiais com aplicações específicas para a finalidade.
A aplicação da emulsão se dá com calha aplicadora, a camada deve ser uniforme... Secada até eliminar com toda a umidade em ambiente escuro...Como já é de praxe e amplamente conhecido.

4- Lâmpada/mesa
Tenha a melhor lâmpada que seus recursos possam adquirir, A potência dela te facilita o momento de fotografar a matriz significativamente.
Outro segredo é que a arte esteja maximamente prensada, com absoluto contato de cada ponto que forma o conjunto da imagem com o tecido emulsionado, dê valor à este detalhe.

5- Jato de revelação
Seguindo as regras de emulsão de qualidade bem curada/ bem fotografada/ com boa opacidade do positivo e exposta em tempo correto... Não haverá dificuldade no momento de revelação. Se por algum descuido no meio do processo você tiver que forçar demasiadamente a abertura da emulsão com o jato d'água, daí as reticular vão "estourar", e a qualidade do impresso também.

6- Registro de cores
Através de cruzetas fixas nas extremidades do desenho nos baseamos na localização do mesmo...
Um registro refinado dos tons é outro momento que deve ser empenhado com paciência e capricho.

7- Tintas
Devidamente diluídas para que tenham perfeita passagem pela matriz e ancoragem no substrato.
Tinta pouco diluída exige maior pressão do rodo, ocasionando distorção da imagem e até mesmo borrões...
Diluída excessivamente dificulta a aplicação por ser muito dispersa...

8- Estampando
A escolha do rodo é fundamental, este obrigatoriamente estará bem afiado, de corte reto, para que defina bem as retículas da imagem.
A pressão(sempre uniforme) será estipulada pelo serígrafo no momento de impressão, suficientemente forte para não haver falhas e sem excesso para que não haja distorção e/ou vasão demasiada da tinta... Sem repique é o ideal, mas não é regra. Eu pessoalmente uso repiques para substratos escuros... O berço deve ser rígido, plano e sem forro para garantir ótima definição.
A técnica de "entre cores" fica à escolha e preferência do serígrafo, seja "molhado sobre molhado" ou com cura intermediária.

Espero ter auxiliado, e pra finalizar este pequeno guia, friso que o segredo da impressão reticulada bem sucedida está na atenção dada a cada etapa do processo serigráfico.
Boas estampadas!

Pra ilustrar um pouco esta postagem inclui mais um vídeo de uma policromia em nude...


No áudio "(I´d gone) the whole wide world" (1974), de Wrecless Eric.

Seja camarada e curta a Página do Yarru! Silk'n'Roll no Facebook
Receba atualizações de matérias sobre o vasto mundo da serigrafia.

Policromia em substrato colorido!

A policromia é encarada como um desafio para a maioria dos serígrafos principiantes, alguns acreditam que seja algo muito difícil de ser feito, o que na realidade não é... Com conhecimentos técnicos básicos e principalmente com muita atenção nas etapas... Unidos à muito capricho se estampa um bom desenho...

Ao vivo:
-"Fotolito" laser-film, com resolução de saida de 60 lpi.
-Mix amarelo, três repiques com matriz 55 fios.
-Fundo branco super cobertura com poliester 77 fios pra tentar diminuir o Take!
-Dois repiques do amarelo... Dois do cyan... Dois do magenta e idem no black, todos com matriz 90 fios finalizaram esta policromia no método úmido sobre úmido.




Estampo um Opalão 77 ao Som de "Chevrolet 48" dos insanos "Eles Mesmos"!

Silkando etiquetas! "tagless label"

Pra serigrafar a etiqueta no verso da camiseta é fácil, deste  modo o cara pode criar umas estampas próprias e inventar uma marca  nova sem muitos recursos, dando um toque de profissionalismo no produto que na verdade é bem artesanal...
No mesmo berço que estampamos a frente da camiseta nós a posicionamos pelo avesso e mandamos ver... Reparem no vídeo abaixo que utilizei uma telas com vários logos diferenciados, cada um tinha como diferencial os tamanhos pra ser estampado em cada peça relacionada... P, M, G, GG...

Two and a Halftone... Charlie Sheen reticulado ao som dos ingleses ToyDolls

Muitas marcas preferem estampar direto na camiseta em vez de usar etiquetas (pode ser também usado transfer), tendo como vantagem a praticidade na aplicação rápida, e o conforto pra quem não gosta de um "coisinha incômoda te roçando na nuca"!

Obviamente existem alguns segredinhos pra que não fique mal estampado...
Temos que primeiramente prestar atenção e deixar corretamente posicionado, ao centro e com uma distância não muito afastada da gola, uns 2 ou 3 cm.
A tinta tem que estar com a viscosidade no ponto, se muito diluída faz com que transpasse para o lado externo da malha, aparecendo no verso e desvalorizando seu trabalho, se pouco diluída pode ficar falhada e pode não passar a mensagem necessária...
A pressão do rodo também deve ser bem precisa pra que o mesmo problema não ocorra, o mais indicado é um de corte reto com 70 shores, não que com mais macios e mesmo com rodo chanfrado não dê certo também...
A tonalidade que eu pessoalmente prefiro utilizar é o cinza, que dá certo em todas as cores de camisas (exceto cinza do vídeo acima né?), no preto aparece, no azul, cor di rosinha... No branco...
Falando em tecido branco... Esse é uma caso à parte... Já é até bom antecipadar pro cliente que a etiqueta silkada deixa marcado o lado externo com certeza plena, mesmo se a cor usada não transpassar, pois o que provoca este defeito é no caso a transparência do tecido, até usando tinta branca aparece... No vídeo abaixo podemos notar em parte isso...


Mr. T-Shirt... Quem se lembra do Bê-á! Do Esquadrão classe A?
 
Quando a serígrafo já estiver mais familiarizado com as estampadas do dia à dia, pode arriscar e estampar a etiqueta interna sem virar a camisa do avesso...
Obviamente deste modo economizamos tempo pácarái, só que essa economia pode virar prejuízo acaso alguma "zica" ocorra... Tipo, estampar falhado e não conseguirmos dar o reprint! Ou repique se preferir... Acredite que eu consegui por diversas vezes fazer essa façanha...

Falando sobre as estampas da frente são ambas monocromia, com 15 lpi, ponto redondo, reticulado utilizando o Ghostscript... Utilizei matriz com poliéster 77 fios, rodo chanfrado e tinta base égua! Digo, base água...

 Boas estampadas a todos!!! E por favor deixe seu comentário na matéria, elogios, criticas, sugestões, nem que seja um olá!

Seja camarada e curta a Página do Yarru! Silk'n'Roll no Facebook
Receba atualizações de matérias sobre o vasto mundo da serigrafia.

Estampando adesivos com tinta vinílica!

Auto adesivos - Decalques - Stickers - Calcomania... Como são chamados mundo afora...
Na realidade hoje em dia com a popularização do serviço de impressão digital o uso da serigrafia pra estampar adesivos vinílicos se tornou muito rara e as vezes inviável.

Vantagens e desvantagens existem nos dois processos, pois a impressão digital não solucionou todos os problemas que se imaginava, cito alguns e deixo em negrito os que acho serem os fatos mais importantes...

Impressão serigráfica:
Up - Acabamento mais refinado, não desbota, versatilidade, sem limitações do substrato, se pode imprimir em um vinil preto por exemplo, cores diferenciadas, tipos de tintas muito mais variadas...
Down - Inviável para pequenas tiragens, dificuldade técnica na produção, etc...

Impressão digital:
Up - Qualidade fixa da impressão, facilidade e rapidez do processo, existem máquinas que já imprimem e cortam os adesivos, eliminando a necessidade da produção das antigas facas de corte...
Down - Custo do equipamento e consequentemente no valor unitário, durabilidade do impresso, limitações, só se imprime em vinil branco ou transparente...

Pra quem ainda quiser utilizar da serigrafia pra imprimir adesivos seguem abaixo algumas dicas importantes:
 
-Use tinta devidamente diluída com o solvente/retardador indicado pelo fabricante, repondo conforme evaporação.
-Fora de contato sempre é um grande amigo.
-Evite querer estampar "50" adesivos por vez, monte a arte com um número coerente de impressos.
-Estampe com paciência.
-O vinil encolhe, imprimir uma cor hoje e outra daqui uma semana provocará desencaixes com certeza.
-Use telas com mesma medida/tecido e tensão, principalmente em policromias.
-Adesivos para vidro (internos) são impressos espelhados, e a sequência de cores é invertida, seguida de um fundo chapado.
-Matrizes ideais são de 100 até 200 fios.
-Normalmente não são usados repiques.
-Importantíssimo! No caso de impressão manual. controle bem o trio Pressão, Velocidade e Inclinação do rodo, "senão a remessa da manhã de uma cromia fica azulada, a da tarde amarelada e a da noite avermelhada" .
-O rodo (poliuretano 60/70 shores), sofre um pouco com a ação do solvente, portanto é aconselhável substituí-lo durante períodos mais longos de impressão.
-O local de trabalho deve ser sempre bem arejado e com renovação constante de ar. Cheirar solvente é gostoso, mas lembre-se que o Maradona começou assim!!!

Regras de Etiqueta na Etiqueta!

Pra quem tem uma marca e roupas, ou então é fabricante da industria textil, existe na legislação a obrigação de dispor na sua etiqueta 6 informações ao consumidor:

-Razão Social e/ou nome fantasia.
-Origem do produto (made in China... made in Brasil...)
-CNPJ do fabricante ou importador.
-Composição do produto.
-Tamanho da peça.
-Cuidados (de lavagem, lavagem à seco, alvejamento, secagem ao tempo/em tambor, passagem à ferro, ...)

Manual completo sobre as normas exigidas para etiquetas


Foto inmetro

Como desenvolver uma boa estufa DIY para secagem de telas.

Para secar as suas telas emulsionadas/lavadas de maneira rápida e eficaz não é necessário muito investimento em equipamento, basicamente precisamos de um ambiente com circulação de ar quente.
Pode ser apenas um "armário" que disponha de prateleiras para colocar as telas horizontalmente.
Embaixo um equipamento que produza calor e vento, pode ser um aquecedor termoventilador, encontrado novo no mercado por cerca de 50 R$.
Eu pessoalmente utilizei o aquecedor retirado de uma secadora de roupas usada que comprei por 15 reais no bazar do Pequeno Cotolengo, tem a vantagem de ser apropriado para secagem rápida e também possui temporizador integrado. Sua eficácia se destaca porque é mais robusto , seu jato de ar é bem forte comparado ao termoventilador que é projetado apenas para aquecer ambientes...
Utilizando este sistema de secagem, dependendo das condições climáticas, uma tela emulsionada fica pronta pra ser revelada em cerca de 10 minutos.

Vai precisar de:
Uma estrutura para montagem...
Um armário reciclado ou mandado fazer, pode ser de madeira, metálico... Com uma porta para que não entre  iluminação nem poeira e um "respiro" na parte superior para sair a umidade.
O ideal é que seu espaço interno seja compatível com a largura das telas.
Prateleiras para dispor as telas...
Devem ficar na horizontal e com a parte emulsionada virada pra baixo.
Uma distancia mínima de uns 5 cm entre as telas para que o ar circule entre elas.

As prateleiras podem ser apenas umas canaletas na lateral interna da estufa, onde serão colocadas as telas, se forem inteiras terão que ser vazadas para permitir a circulação de ar.
Uma fonte de circulação de ar quente...
Não ultrapassar 50ºc para que não ocorra o endurecimento térmico da emulsão.
Deve ficar posicionada na parte de baixo da estufa.


Pra descontrair, ou apenas ilustrar a matéria, no Infográfico abaixo eu "tentei" mostrar como é simples de se construir uma "estufake"!
Obviamente ele não ajuda em nada, é apenas mais uma piada do Yarrru!



Boas estampadas!

Suporte para telas!

Se você estampa várias cores e não sabe onde colocar uma tela enquanto segura a outra, então você precisa de um suporte para colocá-las...
Nunca vi um para vender, pois imagino que seja pelo fato do negócio ser muito fácil de montar... O esquema segue de maneira simples abaixo.




Ele pode ser montado em madeira... Metal... Depende diretamente do material disponível e da habilidade manual de quem vai fazê-lo.


O suporte de tela é parecido com a estrutura de uma escada, com um diferencial... Onde os "degraus" ficam tanto na parte da frente, quanto dispostos de maneira oposta na parte traseira. Deixando um espaço sob medida onde serão encaixadas as telas...
O número destes "degraus" corresponde à quantidade de telas suportadas.

Após montada, esta estrutura pode ser fixada com parafusos na parede em algum local estratégico próximo aos berços...



Seja camarada e curta a Página do Yarru! Silk'n'Roll no Facebook
Receba atualizações de matérias sobre o vasto mundo da serigrafia.

Maneiras de reaproveitar uma camiseta já estampada

Certa ocasião numa roda de amigos um colega me perguntou como ele poderia apagar uma camiseta que já havia sido estampada...No caso ele ganhou algumas camisetas novas, porém com estampas promocionais que não tinha intenção de ostentar... Uns disseram que a estampa saia com álcool, outros opinaram que com querosene, gasolina...  Eu com uma certa experiência com o ramo opinei justamente o contrário, pois cada vez mais os fabricantes de tintas serigráficas tem investido tecnologicamente para que a aderência seja cada vez mais eficiente e justamente não saia mesmo se submetida à ações químicas diversas, abrasão ou atrito... A estampa só vai sair com álcool se for queimando.
 
Mas então surgiu a curiosidade em conseguir uma maneira eficaz de reaproveitar uma peça que já foi estampada.
 
Já consegui com perfeita eficácia retirar uma estampa de uma jaqueta de nylon, a estampa era aparentemente feita com tinta vinílica e esta sai com estopa e thinner... Saiu pois o substrato justamente tem dificuldade de aderência.
 
Estampas de pequena dimensão que foram recentemente aplicadas, no caso entenda este exemplo como uma camiseta que você acabou de estampar errado, podem ser retiradas com o uso da famosa pistola tira manchas. Eu já consegui salvar algumas vezes camisetas até com uso de lavadora de alta pressão
 
[zero toque.jpg]
O coringa mais prático é utilizar o um fundo branco que pode esconder uma estampa de menor dimensão, preferencialmente se a estampa original for feita com tinta clear, deste modo o fundo esconde uma estampa e ancora uma outra por cima

Na prática:
-Faz uma arte com fundo que cubra com o espaço estampado
-Coloca a camiseta  no berço ajustando a altura da estampa conforme o registro da nova tela
-Imprime o fundo com uns dois repiques
-Estampa o novo motivo
 
Neste caso deve ser usado bastante o bom senso e a imaginação na hora de criar a nova composição, para que a camiseta não fique com notória aparência de improviso, tipo um fundão branco quadrado em uma camiseta branca, seguido de uma estampa desproporcional ao fundo!
 
O inconveniente deste método é o excesso de base que deixará a estampa com toque bastante carregado...
"Parecendo um coletinho a prova de balas"... (Mais matérias Yarrru! sobre excesso de fundo aqui)
 Outra opção desesperada, dependendo da composição, por exemplo um avental de brim com estampa frontal, pode ter a mesma escondida por uma aplicação de um Patche ou um bolso...
 
O mais prático no entanto é reaproveitar a camiseta de uma outra maneira, se não quiser doar pra um desfavorecido utilize-a em forma de tecido...
Recortando em tiras vira panos de limpeza, em pedaços maiores vira tecido piloto de testes para novas estampas, mais fácil ainda é inteira, com a gola enfiada em um rodo de limpeza vira um perfeito pano de chão
 

Evitando Calotes

Nesta 180ª postagem do Yarrru! Silk'n'Roll vou falar um pouco sobre os caloteiros e como evitá-los
Quem aí tiver alguma história de calote que levou participe nos contando nos comentários.
Boas estampadas!

Em mercados como serigrafia, marcenaria, serralheria, etc... Há uma dúvida sobre se tratar de venda de "Produtos" ou de "serviços"... A parte tangível é o produto e a intangível o serviço, pensando deste modo creio que podem se encaixar nestas duas categorias.
Tem a venda do produto em si (Camiseta, Guarda Roupa, Portão...) mas esse é agregado à uma criação personalizada (Serviço), assim se você executar um serviço pra um cliente e este desistir da compra no decorrer da produção do mesmo, por ser algo individualmente personalizado dificilmente este produto poderá ser vendido pra outra pessoa
Se o cliente desiste do negócio, entregando ou não o produto, o prejuízo fica para a empresa, sabendo que as camisetas estampadas não poderão ser reaproveitadas qual a maneira mais eficiente de evitar este calote ou inadimplência?
Definição de calote:
Calote é não pagar uma dívida de forma intencional. Caloteiro é aquele que contrai dívida sem intenção de pagá-la.
Calote é Crime e pode gerar implicações legais!!!

A diferença entre calote e inadimplência é que o calote é executado de forma previamente intencional, enquanto o indivíduo que fica inadimplente pode tê-lo feito devido outros problemas como falta de planejamento financeiro ou outro fator externo que o impede de quitar com a dívida adquirida
Conforme vai aumentando o relacionamento o cliente ganha confiança e pode a vir a pedir o vulgar FIADO e dar um calote, neste caso como alerta o jargão popular, você perde o dinheiro e o cliente!
Para evitar esse aborrecimento o mais usual é utilizar do simples padrão 50x50
O cliente paga 50% do montante (sinal) no momento da solicitação do pedido e se compromete a pagar o restante (50%) na entrega
Neste caso é coerente que o cliente receba um contrato de execução de serviço ou um simples recibo que formalize o pedido e possa lhe permitir similar garantia. Assim como tem cliente caloteiro tem muito prestador de serviços com má fé também
Neste contrato de duas vias é bom conter além do valor recebido, detalhes do orçamento, do produto, preço, data, prazos, etc...
Também toda solicitação de alteração deve ser documentada, pode ser formalizada com o pedido de um simples email, portanto é bom salvá-los sempre
Lidar com pessoas é complicado e o que está no papel ou digitalizado formaliza tudo o que foi consensual durante a comunicação verbal, evitando aborrecimentos e discussões.

Mesmo o método 50%x50% não é 100% infalível, já vi casos onde encomendas com múltiplos pagantes, como formandos ou grupos informais, quererem fazer o restante do pagamento individualizado, ou seja cada um vai pegar sua cota acertando seu equivalente... É diversamente confuso e previsível que não vai dar certo... Se for entregar alguma parte, que não seja a metade, pois desse modo você anulou com o sinal
Outra situação é quando o cliente é quem te leva o material pra ser impresso, neste caso a cobrança do sinal pode a meu ver ser opcional, visto que o material a ser impresso só será entregue mediante o pagamento conforme acordo.
 Mais cuidados relevantes:
-Sempre emita nota fiscal. A falta deste documento te deixa sem nenhum amparo se tiver que acionar o comprador.
-Pagamento com Cartão. Parcelamento, Carência, sem entrada, com entrada... Todo o risco fica por conta da administradora do cartão, apesar do custo financeiro, esta atualmente é a mais segura forma de pagamento.
-Não venda. Se tem dúvida quanto ao caráter do cliente, ou se este mostrou maus hábitos em pagamentos anteriores.
-Respeite o Cliente. Mesmo que inadimplente, não faça ameaças ou fuja da formalidade
Segundo o Código de Defesa do Consumidor, no artigo 42, “Na cobrança de débitos, o consumidor inadimplente não será exposto a ridículo, nem será submetido a qualquer tipo de constrangimento ou ameaça. 
-Negocie. Se já levou o calote e o cliente demonstra ter intenções apesar de não ter condições de cumprir com o pagamento acordado, tente facilitar a forma de pagamento, aumente o prazo ou outra solução que garanta vantagem pros dois lados
-Último caso. Empresas terceirizadas de cobrança podem lidar com o cliente inadimplente.



Seja camarada e curta a Página do Yarru! Silk'n'Roll no Facebook, receba atualizações de matérias sobre o vasto mundo da serigrafia.

PS2SILK!

Imagino que assim como eu, diversos serígrafos que atuam hoje, iniciaram no ramo antes da popularização dos softwares gráficos...
O Photoshop foi lançado pela Abobe Systems em 1990, mas popularizado aqui no Brasil apenas depois da metade desta década, antes disso a realidade dos fotolitos para serigrafia era o uso da Tinta China em Canetas Nanquim
Curiosamente este nome vem da cidade chinesa de "Nanquim" que significa "capital do sul", possivelmente em oposição a "Pequin", que significa "capital do norte".
Eu mesmo tive minha coleção com marcas icônicas como Staedtler, Trident e Desegraph, esta última era minha preferida...
Nesta época as artes eram literalmente feitas na unha, pra quem criava uma policromia neste processo eu tirava o meu chapéu
Hoje a realidade é incrivelmente mais prática, teoricamente bastam alguns comandos para que no dispositivo de saída surja a arte final separada, reticulada e pronta...
Na prática esta pseudo facilidade gerou uma avalanche de pseudo artistas, o Photoshop faz tudo! Mas continua tal qual uma caneta nanquin a ser apenas uma ferramenta e pra manipula-la corretamente é preciso muito conhecimento e dedicação.
Tenho o hábito de andar pelo mundo e reparar nas estampas das camisetas dos transeuntes que cruzo, raras são incríveis, muitas mostram que a criação ou a arte finalização não possuía domínio suficiente do ofício, ter conhecimento na manipulação dos softwares gráficos é pré requisito ao profissional do silk, esta é a diferença entre sua camiseta receber elogios, passar despercebida ou chamar a atenção por ser horrível.
O conselho que dou é que sempre procurem capacitação para poder ter espaço garantido na área que atuam.
O Brasiliense Rafael Roan é uma pessoa que tem contribuído bastante pra evolução da serigrafia aqui no Brasil e tem dedicado competentemente seu tempo pra auxiliar quem inicia no ramo ou hobby.
Criou para disposição online o curso Photoshop para Serigrafia - Técnicas de edição de imagens e separações de cores para serigrafia.

Conteúdo:

Módulo 1 - Iniciante
1. Introdução do módulo e do curso
2. Conhecendo as ferramentas essenciais do Photoshop
3. Explicações gerais sobre tamanhos e resolução
4. Editando artes chapadas configurando levels
5. Revisão: Artes chapadas configurando levels
6. Dica para imprimir artes em duas folhas A4
7. Separando cores com varinha mágica
8. Revisão: Separando com varinha mágica
9. Criando estampas com ferramentas simples
10. Separando cores de imagens chapadas com Color Range
11. Revisão: Separando cores de imagens chapadas com Color Range
12. Use a técnica de stencil muticamada na serigrafia
13. Revisão: Use a técnica de stencil muticamada na serigrafia
14. A técnica de stencil multicamada para camisetas pretas
15. Economia de tintas para stencil multicamada

Módulo 2 - Intermediário
1. O que são cromias O que são retículas
2. Conheça os canais no Photoshop
3. Aprenda a fazer a reticulação de suas imagens
4. Transformando imagens em preto e branco
5. Revisão: Transformando imagens em preto e branco
6. Preparando uma imagem em meio tom
7. Revisão: Preparando uma imagem em meio tom
8. Bicromia em branco e cinza
9. Entenda a adição e subtração de canais
10. Revisão: Bicromia em branco e cinza
11. Transformando uma foto em preto e cinza
12. Revisão: Transformando uma foto em preto e cinza
13. Separação de cores para quadricromia CMYK
14. Faça a reticulação da sua quadricromia CMYK
15. Revisão: Separação de cores para quadricromia CMYK
16. Criando fundo branco chapado para CMYK
17. Efeito Moiré
18. Faça quadricromia com fundo preto
19. Revisão: Quadricromia com fundo preto
20. Configurando a geração de preto de suas cromias
21. Densidade dos canais: sua arte está revelável?

Módulo 3 - Avançado
1. Introdução do módulo
2. Entenda os conceitos de indexado e simulado
3. Simulados 1 (Zakk Wylde)
4. Simulados 2 (Hank III)
5. Indexados 1 - Introdução
6. Indexados 2 - Economizando cores do Index
7. Simulados 3 (Game Of Thrones)
8. Simulados 3 - Reticulação
9. Indexados 3 (Game Of Thrones)
10. Indexados 4 - Monocromia Index
11. Simulados 4 (Harley Quinn)
12. Indexados 5 - Sem base (solidez 100%)
13. Finalização do curso

Módulo 4 - Extras
1. Simulado com Base Dupla
2. Simulado em camiseta branca
3. Simulado aproveitando a cor da camiseta
4. Simulados em camisetas de qualquer cor
5. Usando preto sobre camiseta preta
Arte finalista da era da informação! Escolha suas ferramentas

Quase tudo sobre fosqueamento químico em vidros!

Alguns anos atrás prestei um serviço experimental em uma grande empresa do ramo de vidros para produzir umas estampas em um lote de divisórias e portas de vidro de cerca de 1,50 x 2,20 mt cada... O modo de impressão escolhido foi o uso da pasta fosqueante, que dá um efeito simulando o jateamento*, de aplicação mais facilitada que o mesmo, pois não necessita do mascaramento individual de cada peça, uma tela (bem) grande foi suficiente, além do acabamento não possuir o "baixo relevo" causado pelo atrito do jato abrasivo, que dificulta a higiene e limpeza.
*O jato de areia, é proibido no território nacional, sendo que na realidade o que é expelido pelo ar comprimido é "granalha de aço" ou outras alternativas, que embora menos agressivas são também bastante nocivas á saúde do aplicador! Hô ramo insalubre! 

 Com a então novidade da pasta em mãos e o contato importante com um companheiro que se aventurava no ramo artesanal em vidros, foi o suficiente para podermos fazer vários testes em tudo de vidro que se pode personalizar/marcar/decorar... Copos, canecas de chope, garrafas, vidros planos, espelhos, portas, box de banheiro, prateleiras de vidro, tampos de mesa, quadros, vidros de relógio, potes de conserva, troféus de eventos, brindes, lembrancinhas... Tenho mágoa de não ter fotografado tudo isso!
O produto em si é bastante versátil, sua utilização industrial mais comum é na gravação de segurança em vidros de automóveis, onde a numeração do chassi fixada permite o rastreamento de itens surrupiados.
A gravação é definitiva, teoricamente não tem como ser apagada (conseguimos remover alguns pequenos borrões acidentais com o uso de uma politriz + um "pó específico" para remoção de riscos + água corrente para controle de abrasão).

Na prática:
Serigraficamente se usa uma matriz bem tensionada, com boa camada de emulsão resistente à água, diâmetro de fio e abertura de malha (padrão T) que permita o máximo depósito da pasta reativa, sugiro poliéster monofilamento de 55 fios. Como não é uma tinta acrílica não se preocupe pois não entope a tela, só não deixe secar pra não perder o produto, afinal seu valor é meio salgado! O rodo de relativa dureza (70 shores) de tira em poliuretano bem afiada para garantir boa definição
Em chapados e desenhos de maior proporção com menos detalhes, um repique deixa o resultado bem mais apresentável, para isso o segredo é estampar, aguardar o produto agir por cerca de 4 minutos, lavar a peça em água corrente com a ajuda de uma esponja macia até retirar todo resíduo do ácido, secar a peça e repetir o processo da estampagem até a secagem. Use sua criatividade, recursos e principalmente técnica para manter a fidelidade no registro do repique. Ao contrário de outros substratos habituais, o vidro é rígido e fácil de reposicionar.

Mascaramento e aplicação manual é uma outra maneira fácil de personalizar pequenas e médias tiragens em vidros curvos, com uma máscara adesiva de viníl, recortada em plotter ou mesmo com estilete/bisturi se isola a parte da peça onde o ácido não deve agir. Após isso passamos o produto com um pincel, rolinho ou mesmo um palitinho, dependendo da área de ação. O único cuidado é com a devida pré limpeza do vidro para que a máscara não se desprenda nas bordas do recorte provocando infiltração do produto. Podemos lavar a peça e reaplicar a pasta para intensificar o efeito fosqueante. A aplicação de uma segunda demão em apenas algumas partes do desenho podem gerar um efeito diferenciado com intensidades diferentes de opacidade...

Outra maneira é o mascaramento mais a serigrafia, desta maneira mascaramos o desenho tal qual o exemplo anterior, deixando exposta apenas a parte onde receberá o produto, então serigrafamos o ácido com o uso de uma tela "aberta" (sem gravação, apenas com o poliéster), isso garante uma camada o mais uniforme possível, assim como praticidade e velocidade na aplicação em várias peças. Sem correr o risco de borrar e perder o vidro, que dependendo do tipo pode ser de valor bastante elevado.

Em todos os casos, anteriormente à aplicação, o vidro deve estar devidamente limpo, uma dedada gordurosa no manuseio já deixa uma evidente marca indesejada sob a imagem... Como se limpa vidro? Com detergente, com álcool, com vinagre, com água... Se passa um papel absorvente ou até mesmo um jornal para secar. Pano preferencialmente não, pois deixa fiapos de montão...

Composição do produto:
A fabricação da pasta serigrafável em vidros, que eu saiba, é produzida por uma única empresa (não cito o nome pois as empresas do ramo serigráfico generalizadamente, não respondem meus e-mails para utilização de espaço publicitário no Yarrru!). No rótulo não existe nenhuma referência sobre a composição do produto... Mas se trata de ácido fluorídrico (HF), além de emulsificante e alguns outros aditivos...

Riscos no uso deste químico:
Como se trata de uma ácido corrosivo e tóxico, mesmo que diluído, temos que tomar os devidos cuidados pra que não entre em contato com a pele e mucosas, nem que seus vapores sejam inalados. Por isso uso de EPI's são obrigatórios. Eu pessoalmente não aconselho o uso prolongado deste tipo de produto nocivo à nossa salubridade, pois estamos numa época onde devemos valorizar os produtos da linha ecochata, né?


No exemplo ao lado usei mascaramento de auto adesivo vinílico com aplicação do ácido com uso de matriz aberta, poliéster 77 fios, rodo de poliuretano, sem repique. Vidro temperado incolor de 6 mm.
Se trata das portas de um dos muitos hidrantes internos do Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, RMC.


*Neste outro foi uma simples impressão serigráfica corriqueira, tela com emulsão aquosa, 55 fios, impressão sem repique... Vidro comum azul de 6mm.


*Os copos de cerva & cachaça do Bar do Portuga foram mascarados com vinil recortado eletronicamente, depois de alguns testes a aplicação foi feita com um palitinho de dente mesmo, duas demãos do produto permitiram boa opacidade no efeito.






Boas estampadas!

CURTIU? Compartilhe nas redes sociais

Curta a FanPage Yarrru! no Facebook


Como aproveitar ao máximo o conteúdo do Yarrru! Silk"n"Roll

O blog existe desde 2008 e o nosso conteúdo é bastante vasto, mesmo as postagens mais antigas ainda possuem bastante aplicabilidade, visto que a serigrafia definitivamente não está obsoleta como alguns previram erroneamente
Algumas vezes algum internauta posta uma dúvida que na realidade já foi abordada em alguma outra postagem e esta pode ser acessada facilmente.

1- Campo Search (cabeçalho acima )
Localizado ao lado do logo, permite uma busca rápida dentro do blog por palavras chave, por exemplo "policromia", "Relevo" ou "desgravar"
Desta maneira ocorrerá um filtro e aparecerá apenas sobre o assunto que houver interesse em estudo/pesquisa

2- Yarrru! Categorias (coluna esquerda superior ↑← )
Marcadores que dividem as postagens por assunto

3- Yarrru! Arquivo (coluna esquerda central ← )
Disposição cronológica das postagens

4- Anúncios (coluna direita superior→↑ )
Única receita do Blog, limitado apenas à parceiros e diretamente ligados ao conteúdo serigráfico. Selecionados e relevantes 
Esta é uma relação clássica de ganha-ganha, com benefícios mútuos para quem compra, pra quem anuncia e para o editor do blog

No Yarrru! não haverá nunca anúncios Google, nem incômodos anúncios nos vídeos do YouTube, melhorando a experiência do internauta


5- Vídeos do YouTube
A ideia em fazer vídeos curtos é condensar ao máximo a informação na maneira dinâmica da era da informação online, evitando devaneios desnecessários e encheção de linguiça, otimizando o tempo dedicado

6- Time Line (final da página abaixo ↓ )
O padrão da página contém 10 postagens decrescentes, para acessar as postagens anteriores clique no link mais antigas no final da página

Sua serigrafia está parecendo com uma oficina mecânica?


Então sugiro que está na hora de alterar a situação...
Estes tempos estava dando uma olhada na internet, apenas como pesquisa, em oficinas de serigrafia Brasil afora que estavam à venda.. Talvez pelo dono estar mudando de ramo, quem sabe porque o cara não aguenta mais a vida de puxador de rodo... Mas creio ser pelo motivo mais óbvio aquele que prefiro nem comentar... Enfim, esses "ateliers" se mostraram uma verdadeira zona, no sentido menos vulgar e mais emporcalhado. Sujeira de tinta por todos os cantos, aquelas telas velhas ornamentando a visão geral, ambientão escuro e pouco convidativo, só faltava uma cuecona dipindurada num varal...
Eu pessoalmente (e tenho certeza que a maioria dos que leem) teria vergonha de trabalhar num lugar como esse, e imagine convidar um cliente para entrar e tomar uns cafézes!!! (plurar de café é cafézes né?)
Analisando que hoje em dia a realidade comercial é cada vez mais atrativa, onde mesmo as oficinas mecânicas, antes sinônimo de bagunça generalizada, estão organizadas e receptivas ao cliente, tenha este a expectativa que quiser ter... Na serigrafia não podia ser diferente.
Não que as desorganizadas oficinas serigráficas não tenham capacidade de produzir boas estampas, de repente até fazem trabalhos melhores do que feitos em ateliers bem zelados, porém é a primeira impressão a que fica; e que a impressão seja bem impressa.
Boas estampadas!






Montando Um Atelier Serigráfico!

Com esta matéria tentarei orientar como montar basicamente uma oficina serigráfica de pequeno porte, de modo que possa utilizá-la para impressão de substratos vários. Isso para iniciar um hobby, um negócio próprio ou mesmo incluir um setor de serigrafia em uma empresa diretamente relacionada ao uso da impressão serigráfica em seus produtos...

Um hobby não necessita de tudo o que há de mais moderno e prático no mundo do silk; com apenas uma mesa de luz pequena, um berço, umas telas e alguns químicos/tintas; posso na área de serviço de um apartamento estampar umas camisetas exclusivas para dar de presente a alguns amigos, criar uns adesivos pra sair colando por aí, imprimir os cartazes de um show de minha banda ou até mesmo a arte que ornamentará o Cd demo dela... Isso na máxima DIY. É claro que se não ficar mal feito, não sentirei a sensação de que perdi o dinheiro e tempo que dediquei...

Um negócio próprio pode muito bem te dar uma segunda renda pra complementar o salário mensal... Ou mesmo um bom lucro, pois uma oficina serigráfica de pequeno porte é um empreendimento relativamente lucrativo e não exige muito investimento. Para isso então é preciso uma estrutura maior que no primeiro caso, de modo que supra as necessidades de produção que os Clientes Procuram...

Incluir um setor de silk na sua já montada empresa
Dependendo das necessidades e estrutura, não é fácil! Primeiramente afirmo que se você próprio tentar iniciar na serigrafia "do zero" isso irá lhe tomar muito tempo que poderia usar dedicando-se as suas atividades corriqueiras... Sugiro que acaso queira introduzir esse setor, que contrate um serígrafo esforçado com média experiência e incentive ele à aperfeiçoar as técnicas dentro de sua expectativa... Ou terceirize para um profissional de sua confiança...

Falando em valores:
Aqui em Curitiba para se montar uma estrutura pequena, porém equipada para estampar até umas 500 ou 1000 peças diárias (dependendo da composição) se consegue com até uns 8 mil reais.
Não estou afirmando que não se monta com menos ou com mais investimento também, friso que o que define diretamente isso é a estrutura esperada...
Sobre espaço físico necessita de uma boa sala ampla de uns 20 à 30 m2, arejada e bem iluminada... Deve ter um ponto de água com boa vazão e acaso for ter equipamentos de alta tensão, uma instalação elétrica de 220w.

Pra iniciar no Silk é basicamente essencial:
-Computador com editor gráfico, neste caso é elementar que alguém que tenha bom conhecimento em arte final possa manipular o equipamento
-Impressora laser para tirar os fotolitos (arte final).
-Mesa de luz reveladora, para gravar as telas
-Estufa ou local similar de secagem das telas
-Berços, impressora rotativa ou mesa corrida para estampar as peças, impressora à vácuo se for estampar adesivos ou papeis, impressora cilíndrica se for estampar estes objetos...
-Sistema de cura da tinta, camisetas exigem um soprador, flashcure ou berço térmico. Existem outras diversas possibilidades também para usos distintos. Esteira, estufa, secadoras metálicas para adesivos e semi rígidos...
-Lavadora de alta pressão ou similar para desgravar as telas sem esforço
-Telas
-Tintas, pigmentos
-Emulsão e sensibilizante
-Espátulas, rodos, aplicador de emulsão, chavetas se for berço corrido...
-A
lém dos insumos variados por exemplo: Solventes, diluentes, aditivos, catalisadores, removedor de emulsão, cola permanente...
-Esticador e tecido técnico se for esticar suas telas, assim como sistema de fixação (grampeado ou colado)
-Ferramentas gerais como martelo, chave de fenda, chave de boca, furadeira, grampeador, estilete...
-Material de limpeza
-EPI's: dependendo do tipo de tinta utilizado, ou para manusear equipamentos elétricos... Máscara, luvas, óculos, protetor auricular

Alguns equipamentos como berços térmicos, mesa a vácuo... Podem ser adquiridos usados bem abaixo do preço de mercado, neste caso atente-se no estado de conservação deles... Outros como estufa para secagem de telas, berços frios, mesa de revelação, secadora... Podem ser facilmente fabricadas sob medida por alguém que possua um pouco de conhecimento em marcenaria/serralheria... Diminuindo muito o valor do investimento...Só não vá fazer gambiarra tosca e depois por a culpa no Yarru!

Nestas postagens eu explico mais detalhadamente como fazer uma Estufa, um Berço de Parede, Suporte para Telas, fazer registro das cores com Morcetes e Chavetas, revelar telas com ou sem Retículas, Mistura de Tonalidades, Cura das Tintas, Toque Zero, RelevoRecuperação de Matrizes, Tempo de Exposição e muito mais... 
Confira estes links e não se arrependerá de dedicar algumas horas lendo as matérias e vendo os vídeos... DIY!!!

As etapas da serigrafia em um breve mapa mental

Atenção!!!
A dificuldades surgem em cada etapa do processo, a principal que vejo é na revelação das telas, futuramente disponibilizarei um guia completo sobre isso...


Continuando...

Segundo dados oficiais do Sebrae a cada cinco empresas que abrem no Brasil quatro fecham as portas em menos de cinco anos... O motivo principal é a falta de planejamento do empreendedor.
Para quem quer iniciar em um ramo novo digo que é fundamental ter visão empreendedora, com ela é possível ser bem sucedido em qualquer ramo, até catando lixo resíduos...

Portanto pra iniciar faça todas as possíveis perguntas para si mesmo:


O que quero fazer?
Como devo fazer?
Quem serão meus clientes?
Quem está fazendo isso também?

Tem algum local próximo de onde resido que oferta algum curso sobre o ramo ou sobre empreendedorismo?
Tem algum serígrafo que possa te mostrar na prática o funcionamento da rotina?
Tem fornecedores de máquinas, materiais e insumos, tintas, telas, rodos, químicos, assim como as camisetas lisas?

E principalmente, tem algum conhecimento ou habilidade em atividades manuais e artísticas?

Setores de uma pequena serigrafia
Recepção - Atendimento ao cliente, orçamentos, podendo ser junto ao administrativo...
Arte final e criação - Equipe de criação, montagem e impressão dos positivos
Impressão - Local onde ficam os berços, mesas de impressão, polimerizadeira, esteira de secagem...
Depósitos - Estantes de telas, prateleiras de tintas, substratos que serão impressos...
Laboratório - Para preparação das matrizes, mistura de químicos, emulsionamento, secagem das telas em estufa, revelação... (sala escura, é a salinha da luz vermelha)
Limpeza - Limpeza de telas, rodos, espátulas... Recuperação de matrizes...
Acabamento - Corte, dobra, empacotamento, controle de qualidade, separação...
Banheiro - Lugar correto de fazer as cagadas

Esses são os ambientes que precisamos separar normalmente, são as partes distintas da serigrafia, porém de acordo com a disposição do seu espaço físico empresarial e suas necessidades, pode-se conjugar uma ou mais destas partes...
Por exemplo colocar o local da impressão, acabamento e depósito no mesmo ambiente... Ou laboratório e limpeza... Tudo desde que se tenha a organização sem atrapalhar a sequencia dos serviços.
Arte final e recepção no mesmo espaço pode facilitar a interatividade com o cliente e o layout... Mas isso pode ser bastante negativo se não impuser limites, alguns clientes incomodam demasiado e pensam que são os chefes dos arte finalistas, o contato da empresa ao cliente deve ser feito pelo atendimento, este tem o preparo e o feeling necessários para lidar com as peculiaridades humanas.

Dependendo da necessidade ou ramo de atuação será também preciso incluir no seu orçamento a obtenção de outros bens como: 
Ventilador, mesas de apoio, móveis gerais, prateleiras, refiladeira, guilhotina... Churrasqueira, geladeira pras cervejas... Cama (pra quando a dona encrenca te tocar de casa)

Quadro de funcionários
Pode ocorrer dependendo do tamanho e da demanda da empresa, que um funcionário faça mais de um papel dentro dela
Por exemplo, o serígrafo pode estar responsável por todas as etapas do processo, revelação, impressão, limpeza, recuperação...
O arte finalista pode responder emails, a recepcionista auxiliar no empacotamento... Em empresas pequenas existe a adaptação conforme necessidades
Obviamente desde que não haja desvio de função de acordo com o registro na carteira do trabalhador, para evitar futuros incômodos judiciais, nem sobrecarga de serviços ao funcionário

O empresario deve também estar atento sobre a legislação local onde pretende montar o seu negócio, leis contábeis e trabalhistas são federais e unânimes, leis ambientais podem ter diferenciações de acordo com os lugares...

Isso seria o mínimo ideal para iniciar uma pequena firma
Dá pra iniciar com menos? Sim. Com mais? Melhor!
Depende de muitos fatores, quanto está disposto a investir, pretensão de tiragem diária de impressos...

Investimento
Dinheiro, trabalho e tempo... Aplicar corretamente para não desperdiçar nenhum deles!

E lembre-se, sua empresa é seu espaço no mundo pra mostrar o que pode fazer de melhor profissionalmente, seja um cidadão exemplar, ou tenha uma vintage workshop car

Curtiu? compartilhe e auxilie na divulgação do Yarru!

 Adicione-me nas redes sociais: 


 

Home | About Me | YouTubeChannel-1| YouTubeChannel-2 | EZine-Impregnantes | MySpaceTheCO2 | Twitter | Orkut | Facebook

Yarrru! Silk'n'roll © Design by Yarru | Publisher : Me