About

Migração!

Na serigrafia chamamos de migração quando a tinta sai de um lugar onde ela devia ficar quietinha e se transporta pra outro... Ocorre bastante quando estampamos por exemplo uma tinta Plastisol de tonalidade clara sobre um tecido (fibras mistas ou sintéticas) tingido, o corante pode migrar pra tinta... Eventualmente até que fica um efeito legal, mas quase absolutamente é algo indesejável. Para evitar este aborrecimento temos um truque, estampar um bloqueador anteriormente à tinta definitiva, formando uma espécie de fundo...

Mas a "migração" que vamos falar agora não é essa e tampouco se trata de um monte de mexicanos cruzando a fronteira e fugindo da "Border patrol"... É esse interessantíssimo efeito que conseguimos com o "liquido migrante" da Gênesis.

Na prática:
-Estampei o desenho com tinta branca,o substrato era uma camiseta verde musgo. No teste foi usado tinta base água e apesar de não ter o feito com outras tintas, posso afirmar veementemente que não vai funcionar com vinílica, nem em plastisol, etc...
-Com um mini borrifador apliquei o produto sobre a estampa ainda molhada, sem menhum tipo de cura. O odor lembra (só lembra) o do álcool, tem rápida volatilidade e não deixa cheiro nenhum na estampa.
-Deixa agir sobre a estampa por uns 2 minutos que o efeito vai se formando... A tinta escorre pelo tecido e literalmente borra todo o desenho... Nesta hora pensei: Hí! f*d3u! Estraguei a camiseta!
-Após a tinta migrar bem secamos com uma fonte de calor para acelerar a evaporação do líquido migrante.
-Um outro repique é necessário para reforçar o desenho, no caso abaixo eu troquei de cor da tinta na tela por preto (base água) pra dar uma realçada na arte.
-A cura final é dada normalmente...
-Este é um simples porém bonito e diferente efeito que deve ser feito com paciência.
Usando atenção e berço térmico dá pra improvisar borrifando água mesmo, a vantagem do produto original é que sua evaporação é bem mais rápida e precisa.
-Tampe bem a embalagem após o seu uso, pra não correr o risco de quando for novamente usá-la, olhar pra embalagem vazia e pensar: Mas quem foi o fdp que usou todo meu pote???
-A brincadeira de colocar 25 Lpi nas flames e 60 Lpi no desenho é simples, os pontos maiores (25) foram reticulados diretamente no software e o restante do desenho foi reticulado no postscript da impressora...




Estampando o migrante Jipe Russo ao som de Gogol Bordello - Wonderlust King

"Toque Zero à esquerda"!

Sobre a base branca excessiva.
Pra fazermos algumas determinadas composições serigráficas precisamos previamente de um bom fundo branco que irá ancorar as cores posteriores.
Depende diretamente do tipo e coloração de tecido, mas geralmente este fundo tem entre 1 e 3 camadas (repiques).
 Algumas das desvantagens do exagero deste fundo são o Tack pesado e áspero, a possibilidade da tinta colar e comprometer o desenho caso seja dobrada estampa sobre estampa e da tinta rachar após algumas lavagens...
Para que este fundo não fique muito grosseiro podemos controlar o depósito de tinta no tecido com 3 fatores principais.
1-Tinta (escolha da tinta apropriada, controle da viscosidade com diluente/amaciante anti tack)
2-Rodo (Maior dureza + Fio mais reto = Menor depósito)
3-Tecido técnico da matriz (Fundos com tecidos de 62 até 77 fios deixam a estampa com fino toque plastificado)

Excesso de base branca pode transformar sua camiseta num verdadeiro "coletinho à prova de balas".




Policromia ao som de Autoramas / nada a ver. 
Bônus: Vestindo pelo avesso


Silk de uma policromia com fundo branco e tack macio:
Branco com dois repiques, matriz 77 fios e rodo de canto reto
Sequencia YCMK com uma mão cada, matriz 90 fios e rodo macio chanfrado
Verde Pantone©, matriz 77 fios


O detalhe da "estampa da candidata do partido verde" é apenas ilustrativo para fins didáticos e sem pretenção de retorno financeiro nem para divulgação de ideal político partidário...
Eu pessoalmente voto nulo, você... Vote em quem quiser e não me encha o saco! Abraço!

Como não fazer uma policromia!

Existe muita ciência na arte de se fazer uma policromia na serigrafia e pra ela sempre dar certo devemos seguir a sequência correta das várias etapas da nada simples técnica. Se estas etapas forem concientemente controladas podemos trabalhar com a certeza de que o resultado final será satisfatório... E receberá elogios gratificantes...
Na policromia (improvisada) abaixo não segui estas regras, e apesar de ter como consequencia um desenho até que bonito de uma Kombi Power Flower totalmente podrona, destino o bem sucedido resultado apenas à simplicidade da estampa, pois ela não dispunha de muitos detalhes.


Onde nóis erremos:
-Em uma policromia não se usam telas com dimensões diferentes como no vídeo.
-Nem com tensões diferentes.
-Nem com tecidos diferentes (77 fios nas cores primárias e 62 no preto)
-Nem se puxa o rodo displicentemente de lado.
-Nem se usa amarelo ouro no lugar do devido amarelo.

Onde nóis acertemos:
 -Uma pré-estampada do preto chapado que sai pra fora do fundo.
-Pré-cura na base branca que recebe a sequencia de úmido sobre úmido.
-Sem repique na cromia.
-Fora de contato.



Um Natal totalmente Punk - Jingle bells à bordo de uma Kombinationfahrzeug (veículo de uso combinado) da Volkswagen (carro do povo)...
 

Home | About Me | YouTubeChannel-1| YouTubeChannel-2 | EZine-Impregnantes | MySpaceTheCO2 | Twitter | Orkut | Facebook

Yarrru! Silk'n'roll © Design by Yarru | Publisher : Me